Domingo, 13 de Junho de 2021
CAMPO GRANDE MS
Estou me preparando para ser deputado federal em 2022, diz Delcídio do Amaral
Imagem: ASSESORIA
Publicado em 10/06/2021

O Jornal da Hora desta quinta-feira (10) entrevistou o ex-senador e atual líder do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), Delcídio do Amaral. Ele afirmou que tem pretensão de voltar à política sim e teceu elogios à economia brasileira, destacando que vai crescer ainda mais.

Afastado do mandato de senador em 2015, Delcídio ficou preso por 90 dias. Na época, seu suplente, Pedro Chaves dos Santos (PSC-MS) assumiu a cadeira. O ex-senador foi solto em fevereiro de 2016, depois de fechar acordo de delação premiada. Agora, Delcídio afirmou que vai concorrer novamente à política. “Estou me preparando para ser candidato federal. Quando fui senador, viabilizei recursos para todos os municípios do estado, distrito, aldeia, quilombola. Depois da aberração política que acabei passando, acho que tenho crédito suficiente para pleitear um cargo federal, um mandato popular em Brasília”.

Mesmo com as dificuldades enfrentadas por causa da pandemia, a economia brasileira tem mostrado sinais de crescimento. Delcídio do Amaral elogiou e afirmou que o país vai crescer ainda mais. “A economia já está dando sinais de que vai crescer. Podia ter feito mais? Podia, mas nós enfrentamos uma pandemia e o Brasil tem enfrentado dificuldades assim como outros países desenvolvidos. Mas o agronegócio caminha e a economia vai crescer”.

Partido Trabalhista Brasileiro

Após ter assumido a presidência do PTB – MS no final de 2019, ele revelou que está reestruturando o partido. “O PTB é um partido conservador e cristão. Herdei dívidas de várias gestões e agora estou fazendo o saneamento das contas e reestruturando os diretórios do PTB. Estou construindo com muita dificuldade e pagando dívidas de várias gestões”.

Eleições Presidenciais 2022

Com as eleições do próximo ano se aproximando, Delcídio acredita que não terá uma terceira via. “O cenário é de polarização. O que é surpreendente é que o centro não consegue montar uma terceira via minimamente competitiva. A falta de alternativas é muito ruim para o Brasil”.

“Temos de um lado o Bolsonaro, que não tem partido mas tem 27% de eleitorado. Esse número não dá para ignorar, número não mente, ele é um candidato forte, assim como o ex-presidente Lula, que é um candidato forte em função dos últimos acontecimentos que ocorreram”, destacou o presidente do PTB – MS. Além disso, ele lembra que o ex-presidente não foi inocentado. “Ele passa uma ideia de que foi inocentado. Ele não foi. O que aconteceu é que mudou a instância para Brasília”.

Por: RADIO HORA
Comentários
veja também
Cidades em rede
Rede News Online 2011 - 2021 © Todos os direitos reservados