Domingo, 25 de Outubro de 2020
Diversidade
Em Dourados, candidatos a prefeitos e vereadores omitem propostas voltadas ao público LGBT+
Imagem: Divulgação
Publicado em 27/09/2020

Nas eleições 2020, nenhum dos candidatos a prefeitos de Dourados comentaram ainda quais são as politicas direcionadas ao público LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transsexuais), bem como quantos candidatos disputam os cargos de vice-prefeitos ou vereadores pelo segmento. "Um retrocesso sem precedentes, pois a diversidade precisa ser lembrada no plano de governo dos futuros gestores públicos, a humanização dessas pessoas não pode ser deixada de lado na condução de uma cidade, se isso ocorre, imagine as demais áreas da assistência social, saúde, empreendedorismo e educação, dos quais os nossos colegas estão presentes e mereciam atuação destacada", disse João Guilherme, 26 anos, estudante, morador na Vila Matos.

"As autoridades políticas precisam combater esses estereótipo, onde são alarmantes as enciclopédias brasileiras documentando que durante os últimos dois séculos, a violência, institucional ou não, continua atual e perseguindo os LGBTs: no nazismo, eles eram levados aos campos de concentração. Não aceitamos mais meras teorias médicas e psicológicas do século 19 que tratavam a homossexualidade como uma doença mental que podia ser curada através de métodos de tortura, como a castração, a terapia de choque, a lobotomia e os estupros corretivos. Hoje esse segmento precisa ampliar seu espaço na política", frisou.

Segundo a Revista Exame.COM, as eleições municipais de 2020 prometem entrar para a história dos do Brasil. Neste ano, o país bateu recorde de pré-candidatos que se declaram pertencentes à comunidade.

São ao menos 435 nomes LGBT que vão tentar disputar o pleito em novembro, segundo levantamento da Aliança Nacional LGBTI+. Em 2016, ano das últimas eleições municipais, foram 256 candidatos.

A imensa maioria (425) vai tentar disputar cargos de vereador para as Câmaras Municipais, enquanto os outros dez tentarão o pleito para prefeito. Os partidos têm até dia 26 de setembro para fazer a oficialização de seus candidatos.

De acordo com os dados, colhidos por meio de um formulário preenchido pelos próprios candidatos, dos 36 partidos hoje aptos para disputar as eleições, 33 deles têm nomes LGBT. A liderança, até agora, está com o PT, com 66 pré-candidatos. Em seguida, PSOL (65), PDT (62), PCdoB (40), PSB (37), Rede (27), PSDB (20), PV (15), CDN (11), DEM (9), entre outros que têm menos de oito candidatos. (Fonte: Exame.COM).

Por: Markon Machado
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2020 © Todos os direitos reservados