Segunda, 26 de Outubro de 2020
Eleições 2020
Jeferson Bezerra venderá o Estádio Douradão: "Faremos 10 mil casas populares após leilão do prédio"
Imagem: Jeferson e Rezende: PMN prega prioridade aos mais pobres.
Publicado em 27/09/2020

Imóvel ocioso poderá ser requalificado caso a iniciativa privada o gerencie.

Pré-candidato a prefeito de Dourados, o jornalista Jeferson Bezerra foi patrulheiro mirim na primeira turma de 1987, integrou o Grupo Escoteiro Dourados, atuou em várias assessorias de campanhas vitoriosas como dos ex-deputados estaduais Humberto Teixeira e Arti Artuzi, prefeitos eleitos respectivamente em 1992 e 2008. "Nosso projeto simboliza o resgate da credibilidade do terceiro setor, objetivando fortalecer as entidades sociais que suprem uma obrigação que seria do poder público, mesmo sem o financiamento através de convênios, pois recursos existem, porém são gerenciados de maneira unilateral, favorecendo os reclamados da administração, isso ocorre há mais de 30 anos e vamos encerrar este ciclo de retrocessos", frisou.


O anúncio da pré-candidatura de Jeferson nasce a partir do clamor da periferia de Dourados onde ele possui grandes inserções, inclusive dentre as suas propostas está a elaboração de estudos objetivando promover o leilão direto do Estádio Douradão avaliado em torno de R$ 185 milhões, utilizando esses valores na construção de 10 mil casas populares no prazo de quatro anos, o que irá zerar o deficit habitacional.

O pré-candidato também acredita ser importante extinguir o pagamento de alugueis para instalação de diversos serviços públicos oferecidos pelo Município, edificando as novas sedes da Central do Cidadão, da Secretaria de Saúde (depósito de suprimentos), do Serviço Móvel de Urgência (Samu), de dois Centros de Atendimento Psicossocial (CAPS), do prédio administrativo da Fundação Municipal de Saúde e Administração Hospitalar (Funsaud), ampliação da Casa dos Conselhos, construção do novo Centro de Referência em Assistência Social (Região Central), retomada do Núcleo Regional de Saúde cujo imóvel pertence ao Município, entre outros.

Na área econômica Jeferson diz que é necessário criar uma forte Secretaria de Indústria, Comércio e do Turismo com quadro técnico necessário a intermediar a implantação de uma política de intervenção regional no Município, especificamente nas áreas que na ultima década sofreram regressão, esse é o caso do Distrito de Itahum, distante 65 quilômetros do perímetro urbano.

"No mandato do presidente da república João Goulart (1961-1964) nós tivemos como ministro do planejamento o renomado economista Celso Furtado, que aprimorou a presença da industrialização nas regiões Nordeste e Norte que eram as menos desenvolvidas do Brasil, quero fazer este parâmetro indagando nossos empresários acerca do motivo pelo qual o Distrito de Itahum é visto como patinho feio de Dourados. Essa região pode sim alcançar um patamar de desenvolvimento se comparado as demais áreas rurais como Vila Vargas, São Pedro, Sapé e Formosa. Para tanto quero levar a agroindústria à Itahum através de uma rígida política de intervenção, onde a Prefeitura fará a interlocução e atração de empresas de pequeno, médio e grande porte, além de indústrias, com o prefeito oferecendo a infraestrutura necessária, induzindo o crescimento econômico dessas localidades esquecidas e desprezadas", completou.

O PMN acredita que com o leilão de todos terrenos e imóveis públicos ociosos da Prefeitura, além do Estádio Douradão, é possível construir no mínimo dez agrovilas destinadas a agricultura familiar, a aquisição dessas especiarias poderá ser ampliada nos grandes supermercados e complementação da merenda escolar, tanto que projetos pioneiros já foram implantados em 1998 na Vila Formosa pelo então prefeito Braz Melo, o que garantiu a subsistência a mais de 44 famílias carentes. "Nasci na Vila Formosa, me lembro bem que na consolidação da Agrovila Formosa houve a liberação de uma emenda parlamentar do então deputado federal Marçal Filho, cujos recursos foram destinados na construção de unidades habitacionais nos lotes, e aquisição de patrulha mecanizada aos pequenos produtores. Mas a pergunta que faço é onde estão iniciativas importantes como o Programa de Aquisição de Alimentos criado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que inclusive o deputado federal Vander Loubet viabilizou sua implantação na Agrovila em 2009? os maquinários que faziam o preparo do solo se deterioraram, nossos produtores estão desmotivados, Dourados perdeu mesmo a essência da agroindústria e criação das grandes empresas rurais como ocorreu nas décadas de 80 e 90", afirmou Bezerra.

Por vivenciar sua infância e adolescência no Distrito de Formosa, Jeferson testemunhou a importância da escolas rurais no ensino fundamental, essas unidades davam vez e vóz as discussões comunitárias da população de modo geral, isso será aperfeiçoado na criação do ensino técnico profissionalizante. "Quero ir pessoalmente na Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems) e discutir a instalação de mais três novas unidades do sistema "S", seja o Serviço de Aprendizagem Industrial (Senai) ou Serviço de Aprendizagem Rural (Senar), com um deles a ser implantado nas aldeias indígenas, em distritos como Macaúba e Itahum, regionalizando o oferecimento de cursos especificos voltados ao mercado de trabalho da juventude local", indagou.

No transporte, Jeferson defende a instalação do sistema de mototáxi no estilo ‘tuk tuk’, experiência já vivenciada no interior de São Paulo, este triciclo é muito comum nos países asiáticos, sendo que alguns empresários brasileiros compraram uma das últimas unidades fabricadas em Manaus. "Além dos ‘tuk tuk’ quero intermediar a implantação de ônibus dois andares com corredores exclusivos ao transportes coletivo pela rua Marcelino Pires e Perimetral Norte aos usuários que partem desde os Distritos como Vila São Pedro, Mão do Braz até a cidade universitária (UEMS e UFGD), um modelo excêntrico copiado por Jânio Quadros quando foi prefeito de São Paulo em 1986, executado com sucesso em metrópoles como Londres e Curitiba", diz Bezerra.

Bezerra defende a realização da reforma da previdência municipal de Dourados criando um sistema de previdência complementar para novos trabalhadores com remuneração superior ao teto de R$ 3,6 mil, pois o déficit financeiro da previdência local é muito elevado e crescente, é aventada pelo pré-candidato até mesmo a criação de um fundo de pensão à parte do orçamento anual. "Temos quase 7 mil servidores com uma folha de pagamento inchada, precisamos de uma auditoria nessa área, o sistema que existe em Dourados com o Instituto da Previdência Social (Previd) é muito antigo e penoso, usado quando se tem muitos servidores na ativa que financiavam a aposentadoria de quem não trabalha mais. Asseguro que os novos prefeitos precisam tocar nessa ferida e fazer a reforma da previdência municipal, focando um plano de demissão voluntária (PDV), incentivando a digitalização da grande parte dos serviços oferecidos", finalizou Jeferson.


Por: Markon Machado
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2020 © Todos os direitos reservados