Segunda, 28 de Setembro de 2020
Eleições 2020
Evander: "Alan Guedes simboliza Tancredo Neves, trará resiliência na Prefeitura de Dourados"
Imagem: Alan e Evander: Com Resiliência se faz gestão. (Arquivo/Diário-MS)
Publicado em 11/08/2020

Lia Nogueira, Daniela Hall ou Américo Salgado são vices-prefeitos ideais na eventual aliança.

"O Alan é um jovem de 34 anos com a alma de Tancredo Neves, ex-ministro de João Goulart, pacificador, que teve um papel fundamental nas Diretas Já de 1985, foi eleito presidente da república e sepultou a Ditadura Militar após 21 anos. Penso que Dourados também irá se liberar das amarras políticas no dia 15 de novembro, dedetizando essas oligarquias que há mais de 20 anos se revezam no poder", diz Jorge Paredes, comerciante do bairro Canaã I, em entrevista ao Portal MGSnews.

"Eu era uma criança em 31 de março de 1964, indefesa aos 7 anos, quando ocorreu o Golpe, já trabalhava como servente na reforma da Escola Imaculada Conceição, meu padrasto era o chefe dos demais pedreiros. Pelo rádio conseguíamos escutar as notícias da Revolução que veio a tirar o João Goulart do poder, assim encaramos uma ditadura tenebrosa, e a Arena sempre defendeu os militares, depois se recriou. Não quero para meus filhos e netos o que eu sofri nos anos 70 e 80, era um arrocho salarial e fome na vida dos menos favorecidos. Por isso creio na juventude e capacidade de renovação do Alan, para redefinir as práticas políticos arcaicas na Prefeitura", lembrou.

Com sua gestão destacada pela austeridade à frente da Câmara Municipal de Dourados, o vereador Alan Guedes, presidente do parlamento, graças a competência técnica acumulada na sua graduação em Direito e Relações Internacionais, tem esbanjado sua autenticidade ao reafirmar que disputará a Prefeitura de Dourados pelo Progressistas. "Nós temos até dia 16 de setembro para registrar nossa candidatura, e podemos encarar as urnas com chapa pura, a Lia Nogueira é uma jornalista endeusada pela população douradense, poderá ser nossa vice-prefeita, sem contar que temos a Daniela Hall e o Américo Salgado Junior, lideranças do PSD que agregariam o pensamento do Nelson Trad e Fábio Trad, respectivamente senador e deputado federal de MS", elencou Evander Vendramini, presidente do diretório regional do PP e parlamentar de Corumbá.

"Alan não tem rejeição nas camadas populares, com grande inserção nas classes A e B, isso simboliza uma potencial terceira via rumo ao Paço Municipal, agregando até mesmo grupos que há décadas ditam as regras da politica douradense, é preciso romper um ciclo, com uma liderança jovem e inovadora", mencionou.

"Penso que o Alan reflete uma pré-candidatura do contraponto, precisamos mudar a violência nas escolas, a intolerância religiosa, a discriminação racial, a agressão aos irmãos LGBT+, a mulher, aos idosos e demais vítimas da omissão de todas políticas públicas. Guedes foi escoteiro, graças ao sucesso do escotismo a nível internacional, vejo como um momento oportuno dele elaborar seu plano de governo partindo da premissa da institucionalização da educação escoteira nas escolas municipais", disse Leomar Trovão, pré-candidato a vereador do PP, e liderança da Reserva Indígena.

"É um debate amplo, que faria do escotismo uma atividade suplementar no novo Plano Municipal de Educação, idealização a ser dividida com União Nacional e Regional dos Escoteiros do Brasil, que são referência na área, deixamos claro que o Escotismo é um movimento educacional de jovens, desvinculado a partidos políticos", rememorou.

"Ao morar em Dourados, vimos o sucesso do Alan Guedes oriundo da classe média, lutando para se formar em Direito na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), haja visto que desde 2005 testemunhamos as dificuldades enfrentadas por ele enquanto acadêmico, posteriormente cursando Relações Internacionais na Anhanguera/Uniderp, onde além de advogado veio a se tornar professor universitário, ocupando cargos eletivos e lecionando no curso de Direito de Maracaju, da Uems, conseguimos perceber que sua formação como escoteiro jamais o tornou apartidário ou apolítico", lembrou João Guilherme Amorim, escoteiro da Capital Morena e ex-aluno da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

"Ao contrário, como jovem e escoteiro o Alan viu-se incentivado a exercer liderança na sua cidade, independente de críticas, fazendo os devidos enfrentamentos por um mundo melhor", completou.

FOTO: Leomar Trovão é líder indígena, radicado na Reserva de Dourados: "Alan representa a reedificação de toda e quaisquer prática política arcaica na Prefeitura de Dourados", pontuou.






Por: Vanderlei Aguiar, de Campo Grande.
Comentários
veja também
Rede News Online 2011 - 2020 © Todos os direitos reservados